Voni's View

Nossa visão depende de onde estamos em pé

AS PALAVRAS ESTÃO NO PAPEL!

Aprendi algo importante hoje! Quero compartilhar o que aconteceu e ver o que vocês acham.

Como muitos de vocês sabem, eu tenho trabalhado com pessoas em Natal, e um notável advogado em Brasília, Brasil, há cerca de quatro anos para adquirir minha cidadania brasileira.

(Alguém esta noite me perguntou “por que eu quero?” Você pode ler a resposta a essa pergunta clicando no link aqui no final deste post.)

Voltando para a lição que eu aprendi;

Na época da morte de Joe em fevereiro, recebo uma nota do advogado dizendo que minha cidadania está sendo publicada em uma revista do governo brasileiro e ela incluiu uma foto de alguns nomes (meu nome estava lá!).

Eu me lembro o quão feliz eu estava que o processo estava indo em frente … na verdade, eu disse algo sobre isso no Facebook.

 

As pressões e confusão de dor e a necessidade de mover-se imediatamente (quase todos os rendimentos cessaram no momento da morte de Joe), tudo disto engoliu meu cérebro e processo de pensamento. Eu era como um estranho atravessando os movimentos, consciente do que está ao meu redor, mas entorpecido. (Eu estou ficando melhor, mas eu nunca sei ao certo quando as lágrimas virão.)

Eu queria fazer planos para ir á casa de outra filha na Geórgia, passar algum tempo lá, e continuar trabalhando em detalhes para que eu possa prosseguir para o Brasil. Eu começo a me preocupar. Haverá um limite de tempo para eu chegar a Natal para terminar o processo de cidadania? Quanto tempo terei lá?

Preciso estar no Brasil em uma determinada data?

Um bom amigo em Natal me diz “não, os papeis estão esperando por você.” Mas eu continuo me preocupando. Finalmente, lembro-me de um outro amigo que trabalhou com imigração em Natal por muitos anos. Eu envio um e-mail, pedindo-lhe detalhes.

No dia seguinte, recebo um e-mail que me faz saltar de alegria.

Ele lista o que aconteceu (com referências de documentos), o meu limite de tempo (fevereiro de 2018) com uma explicação e uma cópia de um documento oficial que declara o que eu preciso fazer quando chegar a Natal, datado de 19 de maio

Ao ler o e-mail com todos os detalhes, pela primeira vez percebo perfeitamente que o governo brasileiro me deu as estátuas de cidadania: EU SOU BRASILEIRA E AMERICANA!

 

 

 

 

 

Então, qual é a lição que aprendi?

A primeira notificação, eu não entendi o que significa para que meu nome seja publicado nesse jornal oficial do governo. Pelo fato eu não pedi esclarecimentos, eu entendi mal o que estava acontecendo. Então eu vivi com a incerteza por mais três meses até que eu finalmente perguntei.

Isso é compreensível? Sim. Isso é tolo? Sim.

Recebi a minha resposta em fevereiro, mas eu inconscientemente escolhi a dúvida em vez de clareza.

Minha pergunta: Quantas vezes fazemos isso em nossas vidas, especialmente quando estamos estudando a Palavra de Deus? Muitas vezes lemos palavras que pensamos que entendemos: tais como “salvação”, “arrependimento”, ” Cristo morreu por nossos pecados “, “Deus criou o universo”, “o Reino de Deus”; A lista de palavras continua. Não entendemos a profundidade do significado e, em vez de segurança em nosso relacionamento com Deus, não temos certeza de que somos cidadãos em Seu Reino.

As palavras estão no papel, escritas para que possamos ler e entender. Eu fui negligente na minha maneira de olhar para a informação enviada para mim e a resposta era sim.

Se não tivermos o entendimento, então vamos perguntar!

Preciso pedir desculpas ao meu advogado por não pedir esclarecimentos … Felizmente, posso.

Mas eu vivia com a dúvida – e não era sua falta de comunicação. Era minha responsabilidade certificar-se de que eu entendia.

Talvez todos nós precisamos pedir mais esclarecimentos, ao olhar para as palavras que estão no papel?

O que vocês acham?

– Voni

Porque estou voltando para Natal, Brasil?

 

About Voni Pottle

Deixe uma resposta